THIS PLACE TRIES TO SHOW US THAT LEARNING MORE IS POSSIBLE!

A CIDADE DOS RESMUNGOS – PRODUÇÃO TEXTUAL

em 28 de agosto de 2013

Imagine como seria um outro local com pessoas de características semelhantes aos moradores da cidade dos resmungos. Esse local poderia ser uma casa, uma escola, uma sala de aula, uma empresa, um país, etc.
Crie um conto aplicando seus conhecimentos sobre o gênero textual conto, as características das narrativas, paragrafação, etc. Não se esqueça de começar criando um título para seu conto.

Lembre-se: seu conto deverá ajudar o leitor a refletir de maneira divertida sobre o hábito de resmungar desnecessariamente.

* Caso queira conhecer o início do trabalho é só seguir o link abaixo:

https://patriciasgueds.wordpress.com/2013/05/14/a-cidade-dos-resmungos/

Finalmente, consegui um tempinho para postar algumas produções! Logo aparecerão outras! Aguardem!

A FAMÍLIA DOS RESMUNGOS

 Era uma vez uma família em que todos resmungavam os irmãos das irmãs, as irmãs dos irmãos e os pais, dos filhos.

No verão reclamavam que estava muito quente, no inverno que estava muito frio. Um dia um dos filhos não aguentando, mais aquela inquietação falou:

– Porque estamos reclamando?

Um respondeu:

– Sei lá!

– Por que gostamos. Disse um outro. Mas o último disse que não tinham motivos para tamanha reclamação.

– Temos bichinhos de que gostamos, o amor dos nossos pais e uma ótima casa, não sei por que reclamamos!

Então resolveram fazer uma reunião de família e resolveram não reclamar mais, pois não tinham motivos. E desse dia em diante, nunca mais se ouviram resmungos nessa família.

Victoria, 6º Ano B

A casa dos resmungos

Era uma vez, um lugar chamado  casa dos resmungos onde só havia resmungões, resmungões e resmungões.

Ali, naquele lugar só tinha manhas, brigas, reclamações, discussões e mentiras.

As avós queixavam-se dos avôs, os avôs das mães, as mães dos filhos e assim por diante todos eles tinham problemas alguém tinha que ajudá-los.

Um dia uma mulher toda suja e faminta apareceu naquela casa e perguntou se tinha um quarto para alugar. A mãe disse que tinha. Então mostrou a ela o quarto. A moça falou que nunca tinha visto um lugar mais belo como aquele. A mãe se exibindo falou:

– Lógico! A minha casa é a mais bela de todas daqui da vila! Depois deixou a moça sozinha para ela tomar banho. Após o banho a moça se arrumou e foi jantar com os outros. E aí ela percebeu que ali só tinha inquietação e quando falavam começavam a brigar. Então pensou em como poderia ajudar aquelas pessoas. Daí ela falou:

– Venham aqui todos vocês! Percebi que nesta casa só tem tristeza, brigas, mentiras e muito mais! Deixem-me ajudar vocês.

A família falou que uma mulher que apareceu toda suja e morta de fome não podia ajudá-los. A moça respondeu que isso não importava. O importante era o que a pessoa tem na consciência.

– Eu estou mais limpa que vocês mesmo sendo suja e estando morta de fome! A família não quis nem saber e ainda a mandou ir embora dali. Quando ela foi embora eles já começaram a brigar e lembraram-se do que ela havia falado. Pararam de brigar e foram atrás dela, mas ela já tinha sumido procurando outras pessoas que precisavam de ajuda. Aquela família agora, sempre que quer brigar lembra-se da moça, e desiste de brigar.

 

Raquel, 6º Ano D

O Estado dos resmungos

 Era uma vez um estado, em que todos brigavam. Quando havia trânsito, todos saiam do carro e começavam a brigar e discutir. Quando as crianças se esbarravam, começavam a discutir. Por tudo brigavam, e sempre brigavam sem motivo nenhum.

           Até que um dia, chegou ao estado um professor formado em todas as matérias que existiam.

             Ele era muito inteligente, e também nunca tinha se metido em nenhuma briga. Quando havia trânsito ele trancava-se no carro e torcia para que nada o acontecesse.

              Em certa época, estava ocorrendo uma eleição para governador de estado, para acabar com todas as brigas e discussões, ele decidiu se candidatar. Ele conseguiu ganhar a eleição, e virou o governador do estado.

              Ele propôs uma proposta ao estado e a proposta era a seguinte:

              “Povo desse estado! Todos os moradores desse belo estado irão ganhar o valor de um salário mínimo de R$ 600,00 a cada  três meses, e as crianças ganharão brinquedos. Mas será necessário pensar antes começar a brigar.”

               E quando pensavam em brigar ou discutir, lembravam que não iriam ganhar o dinheiro, e as crianças lembravam que não iriam receber os brinquedos. E aquele estado viveu em paz.

                                                                                                                                     Murilo, 6° Ano D

A escola dos resmungos

 Era uma vez uma escola onde todos resmungavam de todos. Os diretores reclamavam dos professores, os professores dos alunos e os alunos dos colegas.

Um dia chegou à escola um professor humilde, que vendo toda aquela reclamação resolveu ajudar.

Reuniu todas as pessoas no pátio da escola, pegou sua lousa e seu giz mágico e começou a escrever palavras de bom sentido para que as pessoas pudessem perceber que estavam erradas.

Depois disse:

– Parem de reclamar, pois vocês tem tudo o que precisam e querem! Muitas pessoas na rua choram de fome e frio, mas mesmo assim não reclamam da vida.

Daí por diante, o povo daquela escola parou de reclamar o tempo todo, e sempre que alguém tinha o desejo de reclamar, lembrava-se do professor, seu giz mágico e da sua aula que os ensinou a não serem ingratos.

Thamily, 6º Ano D

A lanchonete dos resmungos

     Era uma vez a lanchonete nordestina conhecida como lanchonete dos resmungos onde todos resmungavam e resmungavam. Reclamavam que a batata frita estava quente. Reclamavam que o sorvete estava frio. Queixavam-se as garçonetes dos fregueses e os   fregueses dos chefes  de cozinha. Era  uma lanchonete onde não faltava reclamações.

Um dia chegou para almoçar um metereologista, ouviu as reclamações e falou:

– Óh, pessoas desta bela lanchonete! A geladeira está cheia de refrigerante, e a cozinha cheia de comidas! As garçonetes ganham bem e os clientes comem belos pratos! Porque tanta insatisfação? Venha e eu mostro-lhes como ser feliz.

As pessoas olharam para ele e começaram a falar dele assim:

– Como um homem de terno e paletó que trabalha o dia todo para ganhar seu dinheiro pode ensinar- nos a ser feliz? Enquanto falavam, ele tirou um livro de uma bolsa e alguma coisa quente e fria na cozinha e colocou na mesa e falou:

– Venham e falem suas reclamações! Um por vez que vou transformar todas em felicidade. Vou mostrar ensinamentos que Deus ensinou, e, além disso, ensinar coisas que meus professores e minha mãe me ensinaram.

Alguns foram embora e outros ficaram. Ele ensinou que não devemos reclamar de nada nem de comida nem de nossa vida. Não devemos ficar implicando com as pessoas, todos tem sua vida para cuidar e cada coisa tem sua temperatura. As pessoas são quentes porque o sangue é quente e o ventilador faz frio porque o vento é frio.

Assim nunca, mas se ouviu nenhum resmungo na lanchonete nordestina. E se alguém quisesse reclamar ou resmungar lembravam-se no meteorologista e seus ensinamentos, e se alguém começasse a resmungar o dia o chefe de cozinha colocava pra fora à base de panelada.

As irmãs resmungadeiras

Havia uma mulher muito sozinha, que resolveu adotar duas meninas, Natalia com dez anos e Bianca também. Eram irmãs gêmeas. Elas só ficavam resmungando e resmungando por tudo. Sua mãe teve uma ideia de adotar mais uma filha, de treze anos chamados Amanda, que tinha sido abandonada assim que nasceu. Quando sua mãe chegou a sua casa com a Amanda as meninas ficaram de boca aberta, por que não esperavam que sua mãe fosse adotar, mais uma filha.
Sua mãe Juliana disse que Amanda teria que dormir um dia com Natalia e outro dia com Bianca, até fazerem o seu próprio quarto.
As meninas não gostaram e, daí ficaram resmungando, ainda mais. Amanda era muito carinhosa e paciente com suas novas irmãs, sempre falando sobre o amor, que sua mãe adotiva tinha por elas e como Deus era maravilhoso, por ter dado uma nova família, pra elas. Então, com o tempo passaram a ver tudo ao seu redor com outros olhos e pararam de resmungar, e pediram perdão para sua mãe e viveram muito felizes e contentes.
Sua mãe, ficou tão alegre que deu uma festa. E reencontrou um amigo, se apaixonaram e se casaram. Finalmente, Juliana conseguiu realizar seu sonho de ter uma família feliz e nunca mais se sentiu sozinha.

Amanda, 6° B

O Prédio dos Resmungos

Olá meu nome é Vicente e eu moro em um prédio em que todos resmungam. Minha vizinha reclama que a música ao lado está muito alta, meu vizinho reclama que as crianças choramingam, que não pode ter um bichinho de estimação e eu reclamo porque meus vizinhos reclamam.

Um dia estava farto de escutar reclamações dos meus vizinhos então fui falar com o síndico do meu prédio falei que todos tinham um problema e ele tinha que tomar uma decisão e fazer alguma coisa ele me disse que não podia fazer nada, mas aí eu pensei que eu podia fazer alguma coisa. Pensei muito que não só eu, mas todos tinham uma reclamação pra fazer.

Aquela noite eu reuni todos os moradores do prédio para uma reunião para todos falarem os problemas que os faziam reclamar tanto. Então um a um vieram até mim e falaram seus problemas e eu marquei em uma folha de papel cada um deles. No dia seguinte li todos eles e percebi que aqueles problemas eram insignificantes e uma coisa que eles não sabiam era apreciar a amizade de seus vizinhos.

No final do dia combinei com o sindico do prédio pra fazer uma rifa para arrecadar dinheiro e ele me disse o seguinte:

– Tomara que essa ideia maluca de certo!

Então no dia depois da rifa fomos todos a um parque as crianças brincaram. Todos nós rimos bastante então no final do dia fomos para nossas casas.

No dia seguinte recomeçou todas as reclamações todos os problemas e todos os resmungos. Tomei uma decisão e reuni todos eles novamente e disse:

– Vocês não apenderam nada com esse passeio? O motivo dele era mostrar pra vocês o verdadeiro significado da amizade. Somos vizinhos e a única coisa que sabemos fazer é reclamar um dos outros. Nós convivemos juntos no mesmo prédio e temos que agir como uma sociedade, temos que trabalhar juntos e eu tenho certeza que nós podemos viver em união e ser felizes como amigos.

Então todos pararam de reclamar e sempre que alguém tem vontade de reclamar ou resmungar eles pensam no verdadeiro significado da amizade.

Gustavo, 6º Ano D

 

O Bairro dos resmungos

Era uma vez um bairro em que as pessoas só sabiam reclamar. As pessoas reclamavam que as casas do bairro eram grandes demais, e outras baixinhas demais e ainda outras apertadas demais.

Um dia chegou ao bairro um mágico, percebeu que as pessoas reclamavam de suas casas e falou:

– Que casas bonitas! Esse bairro é muito bonito!

Ele falou que ia trazer a felicidade para aquele bairro, mas as pessoas falaram que um mágico não poderia trazer felicidade a eles!

O mágico falou para eles escreverem seus problemas em um pedaço de papel e colocar dentro de sua cartola. Depois disse para cada um, procurar o menor problema que havia na cartola. Todas as pessoas do bairro escolheram “os menores” problemas, cada um pegara seu próprio problema. Depois o magico perguntou se aquele era realmente o menor problema, e eles disseram que sim.

Daquele dia em diante, não reclamavam mais, e sempre quando sentiam vontade de reclamar se lembravam do mágico e de sua cartola.

Natan 6ºD

CLASSE DOS RESMUNGOS

Era uma vez uma escola que tinha alunos obedientes. Apenas uma classe que não era obediente.

Nessa classe, os alunos resmungavam de tudo. Eles reclamavam das notas deles que eram péssimas, também reclamavam dos alunos que não emprestavam os materiais, eles bagunçavam! O que era pior era que por isso esses alunos não passeavam nos passeios da escola! Aí eles reclamavam que não podiam passear.

Um dia chegou um homem na classe mais bagunceira dessa escola. Então o homem  disse:

– Os alunos que querem melhorar seus defeitos escrevam num pedaço de papel o que querem melhorar e coloquem nesse cesto. Os alunos pensaram que esse homem podia ajuda-los. Embora a aparência dele não fosse muito boa. Ele tinha o olho vazado, camisa rasgada, buracos na calça e nos sapatos. Então os alunos escreveram, colocaram os papeis no cesto, e o homem disse:

– Nos vamos escolher o problema mais fácil de resolver!

Todos os alunos escolheram os seus próprios problemas, até que o cesto ficou vazio. Desde então aquela classe se tornou a classe mais educada daquela escola. Quando algum aluno resmungava lembravam-se do homem e também que o seu problema era muito fácil de resolver.

Rener, 6ºD

 

A sala dos resmungos

 Era uma vez uma sala muito resmungona. Todos os dias os alunos resmungavam sobre a greve, resmungavam dos professores, dos outros alunos e dos coordenadores. Um dia, um dos alunos falou pra todos os outros alunos que tinha uma ideia para acabar com o problema dos resmungos. Ele disse:

– Tenho uma bolsa, vocês vão colocar  cada motivo para resmungo dentro dela.  Após todos colocarem e o aluno disse:

– Vou colocar seus “resmungos” em três carteiras e cada um pegue seu resmungo. Colocaram? Agora retirem todos os menores motivos para se resmungar.

Todo aluno escolheu o seu resmungo. Desse dia em diante todos compreenderam que estudavam em uma boa escola, tinham bons professores, colegas de classe maravilhosos! E ninguém resmungou mais.

Janaína, 6º D 

O MUNDO RESMUNGÃO

Era uma vez um mundo que todos eram rabugentos. Eles reclamavam que tinha três sois e reclamavam que não tinha gelo no planeta, reclamavam de seus animais de estimação.  Até que um dia, chegou um astronauta da terra. E ele disse:

– Calma nós viemos em paz. E os ETS responderam:

– Nós quem? E então saiu um cachorro da nave, e todos os ETS que eram anões ficaram surpresos por ele ser manso. Então o astronauta disse:

– Se vocês pararem de reclamar eu lhes mostrarei como domar animais.

Então eles pararam de reclamar e viveram mais felizes do que nunca com seus animais de estimação!

ERICK, 6º D

 

O MAR DOS RESMUNGOS

Era uma vez um peixinho que vivia numa cidade que todos reclamavam até que um dia ele fez uma festa que tinha até bolo.

Nessa festa ele cantou uma musica falando para não brigarem, mas enquanto ele cantava um tubarão o engoliu. Porém, a morte dele não foi em vão todos pararam de brigar.

FABRÍCIO, 6º D

 

                                                              


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

patriciasgueds.wordpress.com/

THIS PLACE TRIES TO SHOW US THAT LEARNING MORE IS POSSIBLE!

My Online Language

Private English lessons online on Skype

Eracio Rondon

"Quem ensina aprende ao ensinar, e quem aprende ensina ao aprender". Paulo Freire

Sala Aberta

Criatividade e Inovação

Teacher Bruna's Blog

A blog to share ideas and experiences related to the English language and its teaching and learning.

Em Badajoz falamos português!!!

Site criado com o intuito de colaborar com os profissionais do ensino/aprendizagem do português língua estrangeira

Histórias em Português

Um blog onde o Clube das Histórias coloca histórias de que gosta e que quer partilhar. Sirva-se e dê-lhes vida! Quer também recebê-las por email? Procura histórias sobre um algum tema ou para um fim específico? Escreva-nos! estorias.em.portugues(at)gmail.com Os nossos objectivos são unicamente pedagógicos, sem qualquer interesse financeiro.

professora adriana ramos

A topnotch WordPress.com site

PROFFPATRYCIA

Aula fora da aula. Um espaço para ampliar o saber e interagir. Aproveite!

Inovar é preciso!!

"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino". ( Paulo Freire )

PROFESSORA:ROSELI LOPES411

"Mudar é dificil mas é possivel" PAULO FREIRE

yasminlegaldotorg

This WordPress.com site is the cat’s pajamas

teacherlusgai

It´s a pedagogic ressource blog

paolasouza2

This WordPress.com site is the cat’s pajamas

teachermelissabr

4 out of 5 dentists recommend this WordPress.com site

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.

%d blogueiros gostam disto: